Cientistas conseguem regenerar esmalte dentário e reduzir dor proveniente da cárie

PUBLICADO EM 05/12/17


Pesquisadores da University of Southern California (USC) descobriram em dois estudos recentes uma enzina importante para a forma├ž├úo do esmalte dent├írio e uma forma de incentiv├í-la a regenerar esse esmalte, o que pode ajudar a reduzir a dor da c├írie de maneira mais efetiva do que uma restaura├ž├úo. Matrix metalloproteinase-20, ou MMP20, ├ę encontrado apenas em dentes e trabalha com outras enzimas para organizar os cristais que formam o esmalte.

Por causa da biocer├ómica que protege os dentes, a mais resistente encontrada no corpo humano, os pesquisadores descobriram uma maneira de recriar uma subst├óncia similar ao esmalte quase t├úo resistente quanto a vers├úo natural. O selante que mant├ęm a restaura├ž├úo no lugar pode enfraquecer com o tempo, levando os pesquisadores a procurar melhores maneiras de reduzir a dor associada a c├íries.

A primeira descoberta dos pesquisadores foi da exist├¬ncia e o funcionamento do MMP-20. Assim obtendo o conhecimento de como o esmalte se forma, e utilizando a prote├şna que previne que materiais org├ónicos indesejados se formem nos cristais do esmalte e guiem o crescimento, pesquisadores come├žaram a vislumbrar uma maneria de reparar o esmalte.

No segundo estudo, os pesquisadores testaram o hidrogel em um modelo que simula os processos bioqu├şmicos da cavidade oral e em molares humanos, sem les├Áes que poderiam gerar c├íries. O hidrogel, reduziu a profundidade de les├Áes de 50% a 70% ap├│s uma semana de aplica├ž├úo do produto.

Agora os pesquisadores est├úo trabalhando em uma solu├ž├úo para formar um esmalte mais forte, para poderem avan├žar para os testes cl├şnicos em humanos.


Fonte: Dental Press