DIASTEMA: FECHAR OU NÃO FECHAR, EIS A QUESTÃO

PUBLICADO EM 23/09/16

Um sorriso com diastema é aquele que tem algum espaço entre os dentes deixando um buraco entre eles. O tipo mais famoso é o que se localiza nos dentes superiores da frente. Embora possa causar algum transtorno para a saúde bucal, esse problema é tratado mais como uma questão estética e arrumá-lo, ou não, na maioria das vezes é uma opção pessoal.
Mas o diastema é algo normal ou estamos falando de um problema?
Depende.  Em crianças que ainda têm dente de leite o diastema é perfeitamente normal, uma vez que os dentes que ainda vão nascer (permanentes) são maiores e deverão preencher os espaços corretamente.

Já na fase adulta, esse buraco entre os dentes não deveria mais existir, mas isso não é necessariamente um problema. Porém, esses espaços facilitam a retenção de alimentos e outros resíduos entre os dentes necessitando ainda mais o uso do fio dental ou escovas específicas que removem os alimentos que se acumulam entre a gengiva e o dente. Se esse cuidado não for tomado, inflamações gengivais podem aparecer.

O diastema ainda pode comprometer a fala ou causar uma DTM (Disfunção Temporomandibular). Exemplo: se o buraco está localizado do lado esquerdo nos dentes do fundo, responsáveis pela mastigação, o ato de mastigar pode ficar desequilibrado, sobrecarregando a musculatura e os dentes do outro lado. Essa descompensação pode causar dores na cabeça, ombros, pescoço entre outros.

A melhor época para corrigir esse problema é ainda na infância e a avaliação se faz necessária na fase da dentição mista. A partir daí o profissional já pode começar a intervir.
Mas não se esqueça, muitas vezes o diastema é só uma questão estética e cabe ao paciente determinar se deseja fecha-la ou não. O fechamento dos espaços entre os dentes só se faz necessário se desfavorecer a fonética ou trazer algum outro problema de saúde bucal mais sério, do contrário, pode sorrir a vontade e sem vergonha.

Fonte: https://goo.gl/idgMZB